Arquivo | Cultura RSS feed for this section

Fundação Iberê Camargo

11 ago

Sempre em busca de novas formas e referências de estudo, gosto de “jogar” palavras na rede e ver o que encontro a partir delas. E hoje tive a sorte de encontrar uma obra de arquitetura admirável! A Sede da Fundação Iberê Camargo, localizada em Porto Alegre, às margens do lago Guaíba. A Fundação, criada em 1995 (um ano após o falecimento do artista que lhe dá o nome), tem como objetivo preservar as obras de Iberê Camargo, e incentivar a relação do público com a arte, através de estudos, oficinas e palestras.

Iberê Camargo, nascido no interior do Rio Grande do Sul, em 1914, foi um dos grandes artistas brasileiros do século 20. Trabalhou com pinturas, guaches, desenhos e gravuras, tendo como algumas de suas séries mais conhecidas as chamadas Ciclistas, Carretéias e As Idiotas. Deixou um acervo de aproximadamento sete mil obras, das quais muitas compõe o acervo da Fundação Iberê Camargo.

Durante 13 anos a Fundação ficou sediada na própria casa do artista, até que em 1996 o Governo do Estado do Rio Grande do Sul doou um terreno de mais de oito mil metros quadrados, a fim de que fosse projetada uma nova sede. Para tal projeto, foi chamado em 1999, o arquiteto português Álvaro Siza.

O prédio é a primeira obra de Siza no Brasil, e também pioneiro no país no uso de concreto branco aparente, não utilizando tijolos e nem elementos de vedação. O resultado plástico é fantástico, e provavelmente por esta e outras qualidades é que deu ao arquiteto o prêmio Leão de Ouro de Veneza em 2002.

Em maio de 2008, o prédio foi inaugurado como a nova sede da Fundação Ibere Camargo, ampliando suas condições de armazenamento de acervo e de trabalho com atividades ligadas a arte. Pra quem quiser mais informações, a Cosac Naify tem um livro todo dedicado a ela. E aí? Alguém topa marcar uma viagem pra Porto Alegre conhecer o museu? =)

Festival das Estrelas – Tanabata Matsuri

25 jul

Ontem quando fui encontrar minha tia no bairro da Liberdade, tive a grata surpresa de encontrar suas ruas suuuuper enfeitadas, cheias de enfeites coloridos!! Eu, desinformada, fiquei sabendo que estava no meio do Festival das Estrelas, Tanabata Matsuri, aqueeele em que as pessoas escrevem seus pedidos em papéis coloridos e penduram em bambus. E gente, fiquei abismada com a beleza do festival!!! Eram tipo uns móbiles ou lanternas muuuuitos coloridos e enfeitados com umas caudas que balançavam conforme o vento.. e nossa! Fiquei quase emocionada!!! E arrasada por não ter levado a minha câmera… (Por isso estou me utilizando de fotos do Estadão aqui, ok?)

Esse é o maior festival japonês no Brasil e reúne um moonte de gente fazendo seus pedidos de paz, amor, dinheiro, proteção, e esperança em papéis coloridos, pra serem pendurados nos bambus e posteriormente atendidos pelas estrelas. Conta a lenda do Tanabata que uma princesa artesã e um pastor se apaixonaram, e então passaram a viver apenas para o amor, esquecendo-se de suas obrigações. Como castigo foram transformados em estrelas e separados na Via Láctea. E todos os anos eles podem se encontrar apenas uma vez, e isso sempre no mês de julho (motivo pelo qual o festival acontece sempre neste mês). E para agradecer por este encontro, eles realizam os pedidos feitos e deixados pelas pessoas.

O festival mesmo só começou a ser comemorado no Japáo após a Segunda Guerra, como algo motivacional para as pessoas, e no Brasil, começou no ano de 1979! E é isso! Adoro essas lendas folclóricas, isso me soa até um pouco indígena, rs…E espero que ano que vem eu me informe com mais antecedência sobre o evento e possa curti-lo mais!!!